Histórico


 

Em junho de 2014 a Estação Ecológica de Ribeirão Preto (SP), mais conhecida como Mata de Santa Tereza, foi atingida por um incêndio que destruiu mais de 50 hectares de vegetação. O combate às chamas contou com a experiência das brigadas de incêndios das usinas, que foram determinantes para o sucesso da ação, não apenas pela capacitação das pessoas, como também pelo emprego dos equipamentos adequados. O fogo foi originado de velas usadas em rituais religiosos, mas foi disseminada a ideia de que a causa foi a queimada em canaviais.

 

Foto: Ronaldo Gomes/EPTV

 

Para esclarecer a opinião pública e trabalhar proativamente contra as ocorrências de incêndios, no campo e na cidade, foi criada a Campanha de Conscientização, Prevenção e Combate aos Incêndios.

A iniciativa envolve a Associação Brasileira do Agronegócio da Região de Ribeirão Preto, ABAG/RP, seus associados, e outros parceiros, como: usinas, cooperativas e associações de produtores rurais. O objetivo é desenvolver ações de comunicação e educação, para conscientizar e engajar toda a sociedade na prevenção aos incêndios.

 

Ações


 

Nos três primeiros anos foi necessário desassociar a ocorrência de fogo sem controle de queimadas controladas, permitidas por lei mediante licenciamento prévio. O slogan foi: Incêndio: diferente de queima controlada.

As peças publicitárias foram baseadas na finalidade de esclarecer ao público que o fogo sem controle não interessa nem para a cidade e nem para o campo. Com a evolução tecnológica, a cana que era queimada, para facilitar o trabalho do cortador, passou a ser colhida crua, com máquinas. O mote usado foi: Consciência e Responsabilidade: a melhor Prevenção.

Anúncios em TV, rádio, jornais e revistas, placas de estrada, busdoors, outdoors alertavam para os perigos dos incêndios. As peças continham os telefones das brigadas das usinas mais próximas, para diminuir o tempo de reação no combate ao foco de incêndio.

 


 

 

Na vertente educativa, mais de 100 mil cartilhas foram entregues em escolas públicas e privadas da região, somente no 1° ano. Técnicos de segurança das usinas ministraram palestras e ajudaram a formar brigadas em diversos municípios.

 


 

 


 

Palestras